APRESENTAÇÃO

O grupo EtniCidades – grupo de estudos étnicos e raciais em arquitetura e urbanismo,  surge da experiência de uma ACCS - atividade curricular em comunidade e sociedade na UFBA em 2013, sob o título Arquiteturas de Povos e Comunidades Tradicionais: Arquiteturas do Quilombo Salamina Putumuju, que tratou da apreensão espacial e desenvolveu propostas arquitetônicas voltadas para usos coletivos para a comunidade quilombola de Salamina, localizada no recôncavo baiano, e, também, do curso de extensão sobre Arquiteturas Afro-brasileiras, realizado em 2014 na FAUFBA, que abordou o aparato institucional, programas, projetos e ações voltadas para comunidades tradicionais negras, arquiteturas dos quilombos, arquiteturas de templos religiosos de matrizes africanas, e territórios negros do lúdico – arquiteturas dos blocos afro, afoxés, maracatus e congadas.

O grupo tem como objetivos desenvolver pesquisas sobre arquiteturas edificadas pelos grupos étnicos, projetos e ações de extensão com apoio técnico voltadas para povos e comunidades tradicionais, e, sobretudo, reflexões das relações entre arquitetura e cidade com grupos étnicos-raciais no que tange aos aspectos do território, cultura e etnicidade, políticas públicas, conflitos e segregação étnico-racial, mercantilização e turismo étnico, patrimonialização, festividades e estética.

As atividades de pesquisa e extensão do grupo apoiam-se no decreto estadual de 13.247 de 30/08/2011 que consideram como povos e comunidades tradicionais aquelas que ocupam ou reivindicam seus territórios tradicionais, de forma permanente ou temporária, tendo como referência sua ancestralidade e reconhecendo-se a partir de seu pertencimento baseado na identidade étnica e na auto-definição, e que conservam suas próprias instituições sociais, econômicas, culturais e políticas, línguas específicas e relação coletiva com o meio ambiente que são determinantes na preservação e manutenção de seu patrimônio material e imaterial, através da sua reprodução cultural, social, religiosa, ancestral e econômica, utilizando práticas, inovações e conhecimentos gerados e transmitidos pela tradição. Engloba-se: aldeais indígenas, territórios quilombolas, templos religiosos de matrizes africanas, afoxés, maracatus, congadas, marujadas, acampamentos ciganos, comunidades de fundo de fecho e fundo de pasto, comunidades ribeirinhas, colônia de pescadores e marisqueiros, geraizeiros, dentre outros.

O EtniCidades se estrutura a partir de cinco eixos temáticos de pesquisa e extensão na relação entre cidade e etnicidades, traçando conexões e pontes entre a arquitetura e grupos étnicos-raciais: Território, Cultura e Etnicidade; Políticas, Conflitos e Segregação Etnico-Racial; Mercantilização e Turismo Etnico; Patrimônio Cultural e Ambiental; Festividades e Estética.

4 comentários:

  1. Olá! textos muito bom da apresentação do grupo, precisava voltar, minha mente para esse contexto!

    ResponderExcluir
  2. quando será o Seminário Salvador e suas cores 2018

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dê uma olhada na nossa página!

      https://saesuascores2018.wixsite.com/salvadoresuascores18/inicio

      Excluir
  3. https://saesuascores2018.wixsite.com/salvadoresuascores18/inicio

    ResponderExcluir